Antes Que a Morte Nos Supere

Ninguém jamais volta
nunca houve quem voltasse
É uma viagem só de ida e ventos fortes e saudades
sobre a jangada frágil de nossa esperança
O olho que pisca o Sol se Agiganta
e nem mesmo Ele jamais repete a Suadança
Mesmo que soe como ter sido
defronte ao dia amanhecido
É Outro em sopro e brasa 1 turbilhão só explodindo
por nada esperando do ser adiante
e enquanto estiver: joga luz no presente
e só
e essa criança que corre veloz pro quarto
: milhões de sinapses entre o riso e o pranto
Bilhões de faíscas seus infinitos Partos
mudando seu corpo seu toque uniVerso
ela não voltará ao ponto em que esteve antes
ninguém vai ninguém Parte
pois partida é só o que há por inteiro
Só nós que fixados colamos as peças
Os grãos pela praia
os nomes às avessas
e não percebemos que o barco não volta no rio que não torna
O Amor que tocamos e jamais será preso
e é isso assim Arde assim queima assim bem desse jeito
Livre solto bonito & Selvagem
1 suspiro 1 bom dia outro beijo
Sem fim nem retorno
que não ser completo & dissolver-se em vida
antes que a Morte nos supere

Nenhum comentário:

Postar um comentário