Páginas

greve de boca de rua

Greve
Greve de boca greve de beijo
Greve de sonho greve de caranguejo
Andando só pro passado não é meu progresso
As pessoas não querem as greves de luxo
Greve de asfalto a greve do susto
Greve de afeto e lamúrias do alto
O Trânsito o Trâmite a lava sobre a pirâmide
A greve de abuso a greve de aumento
Greve não ser escravo joguete jumento
Greve de apuro de merecimento
Greve sem pista sem aula sem cola
Os de bem gritam cadeia! pra quem fura o cartão ponto
É jogar no olho da rua sem lei nem reza nem desconto
Que as mulheres desengravidem e parem de ser tão mulheres falando
Engulam seus sapos e façam o serviço que nos caberia mas temos mais tantos
Greve de mosca greve de ervilha greve de rosca greve em família
Param as obras para seu Deus
para o sol lá no alto > calado sóbrio amplo e ateu
Pague o dizimo Sol! Quem te pôs aí em cima?
Por certo renega o que nossa lei sagrada ensina
Regra de morte regra de esconde
Regra de poucos fazendo o que bem entendem
Regra sem vida regra latrina regra violência a mordida vinda de cima
Greve de noite greve de humanos regra rompida pra dar luz aos sanos
Greve de força greve seria por anos  
Mas a história nos omite e a mentira corre as mentes
E as pessoas consumidas reproduzem leis dementes
Olha lá um comunista! Gritam velhas na bandeira
A política da farsa as revistas traiçoeiras
Quem compra e quem edita
Quem se deita e acredita
Greve a essa realidade forjada

Careta e covarde ~

Nenhum comentário:

Postar um comentário